National Cycle Network – Interior da Inglaterra de bike – 2ª parte

///National Cycle Network – Interior da Inglaterra de bike – 2ª parte

National Cycle Network – Interior da Inglaterra de bike – 2ª parte

Seguindo pelo interior da Inglaterra – de Cambridge a Coventry  eu teria que ir pela Rota NCN 51, 63 e 52 uma distancia de 196 km o que me obrigaria dividir o trecho em três dias. Não era um percurso tão atraente segundo as minhas pesquisas. E o Distrito que havia planejado explorar era Cotswold e os condados – Gloucestershire, Warwickshire, Worcestershire. 

Destinos bem conhecidos na Inglaterra,  por seus vilarejos de pedras calcárias cor de mel, num cenário totalmente rural, com campos, fenos e ovelhas.

2º Rota

Coventry / Warwich / Stratford-upon-Avon  34, 2 km

A região já foi cenário de vários filmes como: “O Diário de Bridget Jones” e “Cavalo de Guerra”, entre tantos outros.

A cidade por onde começaria seria Coventry (região de West Mildlands).  Decidi ir de ônibus, pois teria mais tempo para explora-la e seguir para Warwick (Warwickshire) e visitar seu famoso o Castelo antes de chegar ao destino final    Stratford-upon-Avon.

Parti de Cambridge na primeira hora da manha (6hs). A viagem de ônibus foi tranquila – foram 2h15min até Coventry e a empresa de ônibus foi a Nacional Express (www.nationalexpress.com). MUITO IMPORTANTEna Inglaterra para levar a bicicleta no ônibus ela DEVE ESTAR NO MALA BIKE mesmo em viagem curta. Dai a importância de ter uma com você em uma cicloviagem. De preferência a uma mala bike leve e que não ocupa espaço – a minha é da ararauna  – bem funcional (www.ararauna.com.br) .

Cheguei a estação rodoviária de  Coventry  e montei minha bike. Dali segui para explorar um pouco a cidade.

Coventry

Uma cidade bem cosmopolita e é até bem grande para padrões europeus. Foi uma das cidades inglesas que mais sofreu destruição durante a Segunda Guerra. Um bombardeio destruiu todo o telhado da Catedral de São Miguel . Suas ruínas foram mantidas como um memorial para fazer com que o poder de destruição e tudo que ela representou e representa para os envolvidos não fosse esquecido.

IMG_4677

Catedral de São Miguel construída nos séculos 14 e 15

Várias homenagens aos que lutaram na guerra estão espalhadas pelas ruínas da catedral.

IMG_4684

Escultura simbolizando a reconciliação

Em 1995, 50 anos após a II Guerra Mundial a catedral ganhou uma escultura simbolizando a reconciliação. A mesma escultura também foi levada a Hiroshima no Japão para que as pessoas nunca esqueçam que independente do poder de destruição de uma guerra e das diferenças de seu povo, sempre há uma forma de reconciliação.

A minha parada foi rápida. Da catedral segui a procura da Rota NCN 52 e depois   a NCN41 . Não foi difícil , foi só  encontrar  o Greyfrias Green Park e seguir dali.

 A rota segue por estradas vicinais e em alguns trechos permitidos para bike, caminhantes e cavalos.

IMG_5058

Depois de pedalar 18 km já estava em Warwick.

Warwick.

A cidade  foi fundada nas margens do rio Avon no ano de 914. Tornou-se famosa por ser o local onde se concentram o maior número de castelos medievais do planeta.

Lá eu visitei o Castelo de Warwick que foi construído por William, o Conquistador em 1068. Localizado em uma colina as margens do Rio Avon.

IMG_4844

O castelo sofreu algumas modificações ao longo dos anos . Hoje em dia, ainda é possível ver pontes levadiças, muros altos, várias torres, fossos e calabouços. O preço para visitar o castelo custa 19 libras é possível comprar o bilhete com antecedência (www.warwick-castle.com).

IMG_4877

Lord leycester Hospital

Uma casa que chamou a minha atenção foi o Lord leycester Hospital. A construção de madeiras emolduradas é fantástica. Apesar do nome nunca foi utilizado para os doentes e sim com uma casa de repouso para ex-militares e suas esposas.

IMG_4859

Lord leycester Hospital

De Warwick segui pela Rota NCN 41 através de uma estrada toda asfaltada e com pouco transito. Não foi difícil chegar a Stratford-upon-Avon uma das  mais famosas da região. Afinal, foi o berço de ninguém menos do que William Shakespeare. Ele nasceu no dia 23 de abril de 1564, por coincidência “dia de São Jorge”, e faleceu em 1616, mas continua vivo na memória literária e na vida bucólica do vilarejo.

Stratford-upon-Avon

Em Stratford-upon-Avon fique hospedada no Hostal YHA (http://www.yha.org.uk/hostel/stratford-upon-avon ) por três dias – tempo suficiente para explorar a cidade e região de bike. O Hostal é demais!!!!

O hostal esta a três quilômetros antes de chegar a Stratford-upon-Avon . Como havia reservado dois dias para explorar a cidade, resolvi seguir direto,  me  acomodar e descansar.

Explorando Stratford-upon-Avon

A pequena e charmosa Stratford-upon-Avon.  Na cidade a   maioria das casas e estabelecimentos tem estilo tudor, casas de madeira, com largas vigas também de madeira, deixando a fachada da casa toda quadriculada!!

As trilhas percorridas por Shakespeare.

No dia seguinte, minha primeira providência foi comprar o ingresso para seguir as trilhas percorridas por Shakespeare. O valor é 21.5 libras ( valido por um ano) para adultos e dá direito a visitar os cinco principais pontos de interesse da cidade, para entender a vida naquela época: Shakespeare’s Birthplace, Nash’s House & New Place, Hall’s Croft, Anne Hathaway’s Cottage e Mary Arden’s Farm.

Comecei pela casa onde ele nasceu e viveu até seu casamento – Shakespeare’s Birthplace . Um bom ponto de partida para se explorar essa charmosa cidade-mercado da Era Tudor. Inteiramente reconstruída no final do século XIX, mas mantém à risca o estilo arquitetônico da época de sua construção, com paredes em tons claros e vigas de madeira aparente. Um charme!

IMG_4766

Shakespeare’s Birthplace

Um tour guiado, me levou pelos cômodos, explicando a utilidade de cada um, os costumes da época e como a família Shakespeare se encaixava no cenário social de Stratford. O pai de Shakespeare, um alfaiate especializado em luvas, tinha seu ateliê-loja na casa. Há amostras dos tipos de luvas usados na época e um senhor mostra como elas eram feitas.

Para terminar a visita ouvi um soneto no jardim da casa. Fantástico!

Hall’s Croft 

A outra casa é a Hall’s Croft, casa da filha de Shakespeare, Suzana. Ela casou com o médico John Hall de onde vem o nome da residência, que é muito charmosa. Seu jardim é encantador e em uma das salas há uma exibição com os instrumentos médicos dos séculos XVI e XVII.

 

IMG_4978

Hall’s Croft.

Há também a casa onde viveu sua neta – Nash’s House & New Place. O nome da residência – Nash – foi dado em homenagem ao primeiro marido da neta de Shakespeare que ali morou. Das três casas de Shakespeare que ficam no centro da cidade, essa é seguramente a menos interessante (até porque a casa em si não existe mais, apenas os alicerces). Percebi agora selecionando as fotos  que nem fotografei.

 

IMG_5011

Harvard House

Esta casa pertenceu a um dos ancestrais de Jonh Harvard, o que fundou a Harvard University, perto de Boston nos EUA.

Depois de mergulhar na Historia  Shakespeare,   fui visitar o pub mais antigo da cidade, The Garrick Inn.

The Garrick Inn.

A estrutura aparente de madeira, típica da época em que Shakespeare vivia na cidade, abriga um ambiente aconchegante, coberto em veludos verde-musgo e mobília em madeira escura. Provei a bebida nacional britânica, Pimm’s- um pouco doce demais.

5008

The Garrick Inn – o pub mais antigo da cidade.

Terminei o dia sentada às margens do rio Avon, no Bancroft Gardens onde acontecia uma peça de teatro – comum por lá; afinal estava na cidade do poeta nacional da Inglaterra – o  “Bardo do Avon”

No dia seguinte  pedalei através de um trecho da NCN 5 para visitar a casa a casa onde morava a mulher de Shakespeare Anne Hathaway e a Fazenda de Mary Arden,  – elas estão distante do centro da cidade cerca de três quilômetros.

Um trecho muito tranquilo , que segue ao lado do canal que com seu sistema de comportas leva ao rio Avon . Muito lindo e inspirador realmente! Dizem que Shakespeare caminhava por aqui para se inspirar. Fazer essa pedalada à beira do canal é realmente incrível!

IMG_4908

A casa onde morou Mary Arden, depois Mary Shakespeare, mãe do poeta.

Fazenda de Mary Arden

A casa foi construída pelo seu pai, Robert Arden, por volta de 1514. Na visita, pude ver detalhes todos os cantos da casa, descobrindo como ela foi construída e imaginar como a vida deve ter sido para Mary, na época em que ela vivia com suas sete irmãs.

O lugar é como um teatro gigante ao ar livre, no qual todas as partes da fazenda funcionam e tem atores desempenhando seus papéis diários, como se realmente estivessem trabalhando. Na entrada, já há um ferreiro, que conta tudo sobre como produzir artefato de ferro, como ferraduras e estribos. Depois, você pode ver como  conduzir gansos através de obstáculos e há até uma demonstração de domesticação de uma coruja.

A casa onde morava a mulher de Shakespeare Anne Hathaway

A visita valeu muito !!!!! Recomendo.

Royal Shakespeare Company

O dia terminou com uma visita ao  Royal Shakespeare Company . O prédio é todo feito em tijolos e praticamente não tem janelas. Foi feito em 1986 reproduzindo um teatro elizabetano.

IMG_4807

Ainda ao redores de Stratford-upon-Avon  – distante a 8,7 km – seguindo a NCN 41  visitei o Charlecote Park.

Explorei bem a região nos três dias que ali permaneci.  Afinal viajar implica no desejo de “conhecer”, descobrir e explorar. 

E eu ia seguir explorando … Agora de Stratford-upon-Avon / Chipping Campden – através da rota NCN 5 e NCN 41 

 Próximo post.!!! 3ª parte

 

2018-11-06T12:17:17-03:00

Sobre o Autor:

Um Comentário

  1. Neuma Oliveira Rios 30 de agosto de 2018 em 15:05 - Responder

    Descobrimos seu blog ontem e ficamos encantados(eu e meu marido), primeiro por sua determinação e liberdade, segundo porque pensamos em fazer o mesmo em breve. Ficamos com muitas interrogações e acho que somente um bate-papo pessoalmente sanaria todas elas.(seria maravilhoso se nossos caminhos se cruzassem um dia rsrsrs) Mas gostaria de fazê-la ao menos uma pergunta agora. Porque você preferiu levar sua bike, ao invés de adquirir uma ai na Europa? Os altos custos com as taxas das empresas aéreas não inviabilizam esta opção? Já constatamos “in loco” que os preços das bikes na europa são bons e a qualidade é excelente. Muito amor e luz nos seus caminhos e continue generosa como és nos dando sempre essa oportunidade incrível de acompanhar suas aventuras, sonhar e planejar. Felicidades e obrigada!

Deixar Um Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.